ESG, 3P, CSR, TBL, SRI... o que tem por traz dessa sopa de letrinhas?

Em 1994, o sociólogo britânico John Elkington cunhou a célebre termo "triple bottom line" (tripé da sustentabilidade) ou TBL. O tripé é composto pela fórmula 3P, people, planet and profits (pessoas, planeta e lucros), que de acordo com o próprio autor

"concentra as empresas não apenas no valor econômico que agregam, mas também no valor ambiental e social que adicionam - ou destroem".

Originalmente, o terceiro P, Profits, pode gerar confusão do que realmente deve ser considerado, inclusive o próprio Elkington reconhece isso e abre brecha para ajustes. Em 2015 o fórum anual da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) propôs a releitura mais atual dos 3P's com o tema Investing in the future: People, planet, prosperity” (investindo no futuro: pessoas, planeta e prosperidade). "Prosperidade" é mais usado atualmente em substituição a "Lucros", ou "Profits", por traduzir melhor o valor buscado pelo TBL.

  • People (Pessoas): impacto gerado para além das pessoas que obviamente são consideradas, como acionistas e funcionários, mas também comunidades, fornecedores, ou qualquer outra pessoa que possa estar sendo afetada.

  • Planet (Planeta): impacto gerado ao meio ambiente e seu funcionamento natural.

  • Prosperity (Prosperidade): impacto para além dos lucros financeiros revertidos a empresa e seus acionistas, mas também possível geração de riqueza a nível local, regional ou até mesmo global.

O TBL é reconhecidamente um dos primeiros frameworks para incluir sustentabilidade como componente fixo na concepção de estratégia para qualquer empresa (encontre exemplos aqui https://hbr.org/2021/02/reimagining-the-balanced-scorecard-for-the-esg-era). Ao longo dos anos, evoluiu e impulsionou o surgimento de estruturas e relatórios financeiros, bem como indicadores econômicos que sustentam o conceito, como o famoso ESG (acrônimo em inglês para Meio Ambiente, Social e Governança) e o SRI (Retorno Social do Investimento).


A sigla ESG (environment, social and governance) é uma estrutura que concentra análise para investimentos financeiros em fatores ambientais, sociais e de governança corporativa para impulsionar um crescimento sustentável.

  • Meio ambiente: aborda a maneira como uma organização responde às questões ambientais, como mudanças climáticas e emissões de gases de efeito estufa (GEE), eficiência energética, energia renovável, produtos e infraestrutura verdes, pegada de carbono e conservação de água.

  • Social: aborda como as empresas respondem às questões complexas e em evolução, como privacidade de dados, igualdade de remuneração, saúde e segurança, diversidade e inclusão, posições de justiça social e tratamento dos funcionários.

  • Governança: lida com questões como remuneração executiva, diversidade e independência do conselho de administração e da equipe de gestão e transparência na comunicação com os acionistas.

Existem diversos modelos que suportam o conceito de ESG como o Global Reporting Initiative, o Climate Disclosure Project, o Certified B-corp e o The 17 goals da ONU (Organização das Nações Unidas). Além de agências certificadoras como a Morgan Stanley, a S&P Glabal Ratings e a Fitch Ratings.

17 Objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU

O SRI, SROI (Social Return on Investment) ou Retorno Social sobre Investimento mede o valor dos benefícios em relação aos custos de obtenção desses benefícios. É uma razão entre o valor líquido dos benefícios e o valor líquido do investimento. Por exemplo, uma proporção de 3:1 indica que um investimento de R$1 entrega R$ 3 em valor social.


Enquanto ESG e SRI são medidas quantificáveis de crescimento sustentável, numa dimensão mais qualitativa podemos englobar como impulsionador as ações relacionadas a CSR (Corporate Social responsability), ou Responsabilidade Social Corporativa. Em CSR focamos em promover ações de voluntariado, diversidade e inclusão, por exemplo, que podem até ser metrificadas, mas que não compõe um indicador direto de sustentabilidade.


No final das contas ESG, 3P, CSR, TBL, SRI são todas siglas de conceitos importantes para conhecermos e que impulsionam um único objetivo: crescimento sustentável de uma nova economia.


132 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo